Vou usar o plugin do GT no memoQ e o cliente nem vai saber…

Lamento acabar com sua ilusão, mas o cliente tem como saber, sim. Acabei de perceber isso revisando um projeto no servidor. No meu caso não tem problema nenhum, mas alguns clientes proíbem (em contrato, inclusive) que o tradutor use o Google Tradutor nos projetos.

Na aba “Review” do painel de visualização (uso o memoQ 2013 R2) aparece a origem de cada segmento. Se ele veio da TM secundária do projeto (no caso, uma TM local minha), pode aparecer algo assim:

Screenshot 2014-03-12 17.07.09

Se o segmento vier do plugin do GT, aparece:

Screenshot 2014-03-12 17.02.46

Portanto, olho vivo quando trabalhar em servidor! Não sei se a TM exportada leva essa informação, mas não me surpreenderia.

Tags , , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

2 respostas para Vou usar o plugin do GT no memoQ e o cliente nem vai saber…

  1. Roger Chadel diz:

    Que o memoQ é bem superior ao Wordfast ninguém duvida. Mas aqui o Wordfast ganha um ponto. No desenvolvimento do recurso de MT foi pedido ao Yves que eliminasse qualquer tipo de identificação e ele atendeu. No Classic isso é padrão. No Pro é preciso marcar a opção “Remove MT score from score column when segment is edited”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *