Os vírus e nós

É sabido, e não nego, que sou paranoica com relação à segurança do computador. Fiquei assim depois de descobrir o trabalho que dá limpar uma rede inteira de computadores infectados por um vírus que mudava de nome a cada tentativa de limpeza. Dias e dias de luta, até conseguir limpar tudo. Isso aconteceu no século passado, mas as sequelas continuam até hoje. A primeira coisa que instalo no computador, depois do sistema operacional, é um antivírus. Mesmo no Mac.

Os sistema operacional dos Macs é mais robusto, sem dúvida, mas não é infalível. Nenhum sistema é. A diferença é a base instalada, muito menor que a de computadores com Windows. Assim, o número de vírus criados diariamente pra Macs ainda é menor. Mas isso está mudando e cada vez mais temos notícias de vírus que atacam Macs. Sejam vírus escritos especificamente para Macs, que geralmente vêm junto com aplicativos piratas baixados dos torrents, sejam “infecções” em Java (que afetam todos os sistemas operacionais) carregados de sites suspeitos.

Por isso, é sempre bom ter um complemento (também chamado de plug-in ou add-on) no navegador para bloquear Java e javascripts dos sites. Além da navegação ficar mais rápida, por não carregar montes de banners e animações geralmente inúteis, aumenta a sua segurança. Uso o NoScript no Firefox.

Quanto ao antivírus, estou usando o Sophos. Ele protege tanto o sistema Mac quanto o Windows, que uso virtualizado com o Parallels. Avisa também se algum site tentar acessar ou instalar o que não deve.

No Windows, Avast e Comodo são boas alternativas. Já tinha mencionado ambos em outro post.

Lembre-se de ativar a atualização automática, sempre, em qualquer antivírus. Porque ele não ajuda muito se estiver desatualizado.

Outra dica importante: NÃO CLIQUE EM LINKS SUSPEITOS. Sim, em maiúsculas e negrito. Você não ganhou na EuroLoto (e lembre-se que também não jogou), não é o milésimo nem o milionésio a acessar o site, os bancos não mandam atualização de cadastro por email (a menos que tenha conversado com seu gerentes antes e, neste caso, muito provavelmente o formulário virá do email do gerente, não de um email genérico), nem o Tribunal Eleitoral nem a Receita Federal precisam dos seus dados para atualização. Tudo isso são iscas para que clique no linkzinho que vem logo depois e que provavelmente vai instalar alguma coisa no seu computador. A velha regra é sempre válida: se parece bom demais pra ser verdade, com certeza não é mesmo.

A internet pode ser um lugar mais ou menos seguro para trabalhar, navegar e fazer compras, depende do comportamento e dos cuidados de cada um.

Dicas da Kaspersky para segurança digital

  • Nunca permita que uma janela de pop-up “execute uma verificação do sistema”. Programas de segurança legítimos nunca fazem isso.
  • Se você marcar a caixa que diz “lembrar meu acesso”, a sua senha será salva nos arquivos temporários do seu browser. Esses arquivos temporários não são protegidos fortemente pela maioria dos browsers e são explorados pelos criminosos cibernéticos que tentam acompanhar suas atividades on-line.
  • Determinar apenas um cartão para ser utilizado para todas as compras on-line. Prestar muita atenção aos valores cobradas para este cartão e monitore todos os valores não autorizados. Se criminosos cibernéticos fizerem um pagamento com seu cartão de crédito você só terá que se preocupar em cancelar um cartão, ao invés de vários.

Original aqui.

Outra dica importante: muito cuidado com janelas pop-up que oferecem serviço antivírus. Na maioria das vezes (só para não generalizar e dizer SEMPRE) é só uma isca para os incautos, que acabam instalando algum tipo de malware no computador.

E sempre, sempre, sempre, tenha um antivírus instalado e atualizado. Existem programas gratuitos, que já mencionei antes. Eu uso o Kaspersky Internet Security, que vem no pacote do Parallels. Vale o pouco que custa.