Como traduzir arquivos .ttx no memoQ

Quando um cliente envia um arquivo .ttx, espera que seja traduzido no TagEditor. Mas, como uso o TE apenas em último caso, traduzo tudo no memoQ. Acho melhor e mais prático, com controle muito melhor da terminologia.

Infelizmente, o método que uso não dispensa o Workbench e o TagEditor nas fases de preparação e finalização.

1. Se o cliente enviou a memória no formato .tmw, abra-a no Trados Workbench (File/Open) e exporte no formato .tmx 1.1 (File/Export).

2. Pré-traduza os arquivos enviados pelo cliente. No Trados Workbench, selecione Tools/Translate/Add, selecione os arquivos que quer pré-traduzir, confirme se as opções correspondem às da figura abaixo e clique em Translate.Pretranslate no workbench

Uma observação importante: se a caixa “Segment unknown sentences” não estiver marcada, o Trados não vai segmentar o arquivo inteiro. A opção precisa estar marcada para ocorrer a segmentação completa. [Valeu pelo toque, Danilo!]

3. Adicione os arquivos pré-traduzidos normalmente no projeto do memoQ.

4. Se o cliente enviou a memória, você pode usar a opção Import from TMX/CSV, no módulo de recursos ou na aba Translation Memories, para incorporar a memória do cliente (que você transformou em .tmx no passo 1 acima) à memória do projeto.

5. Traduza o arquivo normalmente no memoQ.

6. Exporte o arquivo bilíngue, usando a opção Export bilingual/Two-column RTF da aba Translations.

7. Abra o arquivo no Word e passe o corretor ortográfico/gramatical. Salve as alterações.

8. Reimporte o arquivo corrigido no memoQ, usando o comando Import/update bilingual da aba Translations.

9. Confirme os segmentos alterados: selecione no menu Operations/Confirm and Update Rows, marque a opção Edited e clique em OK. Todos os segmentos alterados serão incorporados à memória do projeto.

10. Agora, veja se não esqueceu nenhuma tag. Se isso acontecer o arquivo pode não abrir corretamente no TagEditor ou dar problema na exportação final. No menu, selecione Operations/Resolve Erros and Warnings. Corrija o que precisar, confirmando cada segmento corrigido.

11. Só falta exportar o arquivo. Na aba Translations, selecione Export (dialog) e especifique o local de destino do arquivo. O resultado é um arquivo .ttx bilíngue, exatamente como se tivesse sido traduzido no TagEditor.

12. Prontinho. Por via das dúvidas, abra o arquivo no TagEditor para confirmar que não deu nenhum problema. É raro, mas pode acontecer.

Observação importante: para que o arquivo final seja bilíngue é indispensável a pré-tradução no Workbench (passo 2). Caso contrário, o resultado será um arquivo apenas em português (ou qualquer que seja sua língua-destino).

Programas indicados na Confência do Proz

Conforme prometido na Conferência do Proz, aqui estão os links que Ana Iaria e eu mencionamos em nossa palestra. Eu já tinha falado sobre alguns deles no blog; nesses casos, coloquei também o link do post.

Antivírus

Avast

Comodo

Anti-spyware

Spybot

Compactadores de arquivo

Winzip

Winrar

7-zip

Backup/sincronização

Dropbox (mais info)

Syncplicity

Syncback

PDF

Abby FineReader (mais info)

Omnipage

Readiris (mais info)

Adobe Reader

Adobe Acrobat

Foxit

CutePDF

Navegadores/extensões

Chrome

Firefox

Delicious Bookmarks (mais info sobre o Delicious)

FireFTP

Xmarks (mais info)

Add to Search Bar (mais info)

Pesquisa

Intelliweb Search

TerminoTrad (mais info)

GoldenDict (mais info)

iGoogle (mais info)

Gerenciamento de glossários e memórias de tradução

Xbench

Copernic

Olifant

Extração de texto de PPTs e caixas de texto do Word

Werecat

PDF da apresentação

2ª Conferência Virtual do Proz

Acabou de chegar email avisando sobre a segunda Conferência Virtual do Proz. Participei da primeira, foi extremamente proveitosa. Um dia inteiro de palestras e chats com colegas de todo o mundo. De casa, em qualquer lugar do mundo, e grátis.

Serão três conferências, separadas por público-alvo:

  • 30 de setembro, para tradutores
  • 13 de outubro, para agências
  • 10 de novembro, para consumidores

O evento para tradutores tratará de temas como tarifas, gerenciamento de projetos, expectativas dos clientes, qualidade, especialização e tradução automática.

O site da Conferência traz todas as informações.

Nos encontramos lá!