Arquivo unclean do Trados no memoQ. Pode? Pode!

Pergunta do Élcio:

Bom dia,
Estou começando a usar o trados e o memoq 5. Recebi um teste para entregá-lo em formato rtf e unclean.
O formato unclean é o mesmo quando salvo a tradução em rtf pelo trados 2007?
Tentei fazer o que você escreveu no blog, mas tou usando o memoq versão 5 e não tem como desmarcar a opção simple formatting.
Grato pela ajuda,

Élcio

Élcio, se a opção “Simple formatting” fica inativa na janela de exportação, muito provavelmente o arquivo original tem extensão .docx. Experimente salvar o original como .doc, reimportar no memoQ e usar o “Pre-translate” para traduzir tudo novamente. Não sei porque existe essa restrição, na verdade, mas já me deparei com ela algumas vezes.

O formato unclean gerado pelo memoQ é exatamente igual ao do Trados ou Wordfast. O cliente não tem como saber em qual das ferramentas o arquivo foi traduzido.

Será que isso resolve o seu problema?

Comentário rápido: arquivos .docx no memoQ

Já me aconteceu mais de uma vez perder a formatação de arquivos .docx depois de traduzi-los no memoQ e exportar como bilíngues do Trados. Agora me acostumei a converter em .doc, no próprio Word, antes de traduzir. Tem funcionado bem.

Como gerar um arquivo .doc com controle de alterações

É comum os clientes pedirem revisão dos textos com a opção de controle de alterações (track changes) ativada, para que ele, cliente, e o próprio tradutor possam visualizar mais facilmente o que foi alterado.

Mas e quando o revisor não usa esse recurso? Como saber o que foi alterado sem cotejar o texto todo?

O próprio Word tem um recurso para isso, a função “Comparar”. No Word 2007, fica na aba “Revisão”.

Comparar, no Word 2007

Depois especifique os arquivos (original e revisado), os parâmetros desejados, se quer as correções em um novo arquivo ou no existente:

Word 2007, detalhes de "Comparar"

O resultado será um arquivo com as correções destacadas, como se tivesse sido feito com o controle de alterações ativado.