A importância do contexto

Hoje assisti à palestra da Lia Wyler, na USP. Mesmo não sendo tradutora literária, o tema me interessou: contexto.

Lia falou sobre o contexto histórico e geográfico do texto, além do contexto psicológico dos personagens, para encontrar termos que se encaixem nas falas e na narrativa sem causar estranheza nem distorção.

O mesmo princípio vale para a tradução técnica. É preciso saber de onde veio o texto, quem vai lê-lo, a qual a área se refere. Ela usou uma expressão que achei interessante: “visualizar o contexto”. Se você não consegue visualizar, imaginar uma máquina qualquer mencionada no texto, como pode saber qual termo, dentre vários possíveis, usar para o nome da peça que está traduzindo?

A visualização, por outro lado, implica conhecimento. É muito difícil imaginar um motor sem nunca ter visto um, mesmo que não “ao vivo”. Da mesma forma, é difícil traduzir juridiquês sem conhecer os sistemas jurídicos dos dois países, de origem e de destino.

Tudo isso parece bastante óbvio quando dito desta maneira mas, se fosse mesmo assim tão simples, não precisaria ser repetido tantas vezes em palestras, aulas e fóruns de discussão, especialmente quando chegam pedidos de ajuda, muitas vezes (e muito mais vezes do que o ideal) sem o devido contexto.

Fiz outras anotações durante a palestra, mas elas vão virar outro post, mais completo.

E, fechando o post de hoje, a frase do colega Luís Henrique Kubota: “Sem contexto, não há texto.”

A pesquisa de livros do Google

O Google tem um recurso muito interessante, mas ainda pouco usado: a pesquisa em livros. Ele traz livros com visualização total, parcial ou sem visualização nenhuma do conteúdo, em todos os idiomas e sobre todos os assuntos.

E, tendo uma conta do iGoogle (um endereço do gmail resolve o problema), você pode também criar sua biblioteca, com os títulos que quiser. Para incluir livros à sua biblioteca “particular”, clique no link “Adicionar à minha biblioteca”, usando a “Visualização de lista”.

Quando for pesquisar, pode optar por pesquisar em todos os livros do acervo ou só naqueles selecionados. Para isso, clique no link “Minha biblioteca”, no alto da página, à direita.

Eu comecei a minha hoje. Para acessá-la, clique aqui.

Agradecimento

Agradeço do fundo do coração todas as felicitações que recebi através dos comentários, do twitter, do orkut e por email. Não imaginava que teria tantos acessos, logo no primeiro dia. Foi uma surpresa muito boa. Mas, agora, sinto o peso da responsabilidade: tenho que fazer o blog andar direito, porque tem muita gente olhando.

Prometo que vou me esforçar. Assunto, certamente, não falta.

Babylon

Já faz tempo que desinstalei o Babylon do computador. De modo geral o Lingoes é melhor (além de ser gratuito), mas eu sentia falta dos glossários temáticos do Babylon, que às vezes lançam uma luz sobre aqueles termos esdrúxulos que caem no nosso colo e não sabemos nem por onde começar a procurar.

Pois eu acabei de descobrir, por acaso, que a busca online do Babylon inclui vários desses dicionários temáticos. Só não consegui descobrir como filtrar a busca, como no programa instalado. Existe a opção de dizer qual dicionário você quer, mas eu pessoalmente prefiro especificar o que eu não quero.

De qualquer forma, fica a dica: http://dicionario.babylon.com/

Você também pode incluí-lo na caixa de pesquisa do Firefox, usando a extensão Add to search bar. Depois de instalar a extensão e reiniciar o navegador, vá até o site do Babylon e clique com o botão direito dentro da caixa de pesquisa. Escolha “Add to search bar…” e confirme na janela pop-up que vai aparecer.

Pronto, seu Firefox agora pesquisa diretamente no Babylon (ou de qualquer outro site que quiser, na verdade).

Corretores para o novo acordo ortográfico

O Pablo Cardellino, dono da comunidade Tradutores/Intérpretes-BR do Orkut, lançou um corretor ortográfico compatível com as novas regras de ortografia.

As informações e instruções para instalação estão aqui.

Por enquanto está funcionando apenas no Word 2003, mas o Pablo já está trabalhando nas outras versões.

Até a Microsoft lançar o corretor oficial, acho que esta é a única opção gratuita para os usuários do Word. Provavelmente vou testar a versão para Word 2000 antes de ser lançada, aviso aqui assim que estiver pronta.

Outra opção é o Flip, da Priberam. Não é gratuito, mas até agora valeu cada centavo. Funciona muito bem no Word, no TagEditor e no DVX. Não tive nenhum problema, mas colegas me disseram que o suporte deles também é rápido e eficiente.