Programa de mentoria da Abrates

A Abrates lançou oficialmente, hoje, o programa de mentoria da associação. Não vou descrever pormenores, porque é mais fácil ler tudinho no site, mas gostaria de dizer que sou voluntária no primeiro grupo de mentores. E por quê? É muito simples, na verdade. Porque eu acredito que ensinar o caminho das pedras pra quem está começando é uma excelente maneira de nivelar por cima a qualidade dos meus colegas e do mercado. Eu e muitos outros fazemos isso informalmente há anos, desde as listas do Yahoo e da comunidade do Orkut até hoje, nos grupos do Facebook. Fazemos isso quando viajamos pra palestrar em congressos. Por que não continuar fazendo num programa formal de mentoria?

Por que não ensinar coisas que não aprenderam na faculdade, como a maioria dos detalhes mais burocráticos da nossa profissão? Como negociar com clientes, como fazer orçamentos e invoices, como receber? Como aprender a dizer um não firme e educado pros clientes.

Ninguém nasce sabendo, isso é fato. E o mercado tem espaço de sobra pra bons tradutores. Se eu vou ter concorrentes, quero que eles sejam bons no que fazem. Acredito, muito polianicamente, que encher o mercado de bons tradutores vai, com o tempo, eliminar os aventureiros, aqueles que não sabem cobrar, oferecem um serviço ruim e acostumam mal os clientes.

Um mercado com profissionais de qualidade é vantajoso pra todos, tradutores e clientes.

 

Conheça mais sobre o programa de mentoria no site da Abrates e curta a página do Caminho das Pedras no Facebook.

Curso presencial de memoQ em São Paulo este mês

Finalmente saiu do forno o curso de memoQ que vivem me pedindo, e em grande estilo: numa parceria com Kilgray, Abrates e Café com Tradução.

Será presencial, em São Paulo, dias 25 e 26 de fevereiro. Como queremos grupos pequenos para maximizar o aproveitamento, teremos duas turmas paralelas: uma comigo, outra com o Reginaldo Francisco. Cada um de nós vai dar os dois cursos: básico de manhã, avançado à tarde – é muita informação para absorver, então é mais prático aprender o básico, usar a ferramenta por um tempo e depois aprender os recursos avançados. Não se preocupem, vai ter repeteco do curso em breve. 😉

Mais informações e inscrição em Café com Tradução – curso de memoQ

Ah, cada aluno deve levar seu laptop com memoQ instalado. Se não comprou a licença ainda, sugiro instalar logo antes do curso, para poder aproveitar e treinar durante o período grátis. Baixe o aplicativo aqui (site oficial do memoQ). Para informações sobre como instalar e ativar o memoQ, baixe o guia rápido de instalação.

artememoQ_anverso artememoQ_verso

Ideias para palestras em 2016

2016 começou com força total! Vários eventos já abriram o envio de propostas, então minha primeira pergunta do ano é: o que vocês gostariam de ver nas minhas palestras este ano? Dentro das minhas especialidades, claro, porque nunquinha vou ficar lá na frente pra falar do que eu não sei ou sei pouco. 😀

Então, dentro das áreas da porquinha prática aqui – tecnologia, localização, química, medicina, produtividade, postura profissional – quais as suas sugestões?

50302 Unplugged: o tradutor em outras palavras – ou não

Acabei de ver uma foto de um moleskine passando pela timeline do Facebook e me lembrei de um projeto sensacional que nasceu na saudosa 50302, a comunidade de tradutores e intérpretes do Orkut, da qual fui moderadora (com muito orgulho!) por alguns anos.

Os colegas, hoje amigos, tiveram a ideia de fazer um moleskine (nosso “molekinho”) passear pelo mundo, de mão em mão, para que tradutores de diferentes áreas e diferentes talentos mostrassem sua visão da tradução. O progresso e as histórias das andanças do molekinho ficou registrado no blog 50302 Unplugged.

Só agora, tantos anos depois, consigo pensar em uma “arte” pra colocar lá. Alguém sabe por onde anda o caderninho? Precisamos colocar o molekinho na estrada de novo!

Quer melhor jeito de desejar um feliz dia do tradutor do que mostrar como cada um vê a profissão? Feliz dia de São Jerônimo a todos os tradutores!

Coisas que aprendi hoje sobre o Office 365

Há um ano eu optei pelo Office 365, em parte porque uso Mac, Windows e Android (e precisaria comprar licenças separadas pra cada plataforma, se optasse pela licença tradicional), em parte porque a versão Home permite 5 licenças, cada uma com uma conta de 1 TB no OneDrive. Aqui, pelo menos, foi vantajoso. E agora chegou a época de renovar essas licenças. Depois de uns dias pesquisando, comprei numa loja online e o pacote chegou hoje. Sim, o pacote. É, eu sei, comprar o produto e esperar a caixinha (sem CD nem pendrive nem nada, só mesmo o cartão com a chave) chegar pelo correio é tão século passado… mas é assim que funciona.

– Dá pra renovar a licença do Office 365 usando a licença comprada nas lojas online, não precisa pagar mais caro pela renovação da Microsoft (esta, sim, totalmente online, sem caixinhas pra lá e pra cá). Pra atualizar, entre no site da Microsoft, clicar em Minha Conta, Gerenciar conta, Renovar com uma chave de produto do Office e digitar a chave que veio na caixinha.

– A partir de agora vou prestar atenção às promoções, mesmo que não esteja na hora de renovar a licença. Se tivesse comprado em agosto, teria economizado cem reais.

– A data de vencimento da assinatura considera a data da instalação original. Instalei em outubro passado, renovei hoje, o vencimento continua 12 de outubro (agora, de 2016).